Please reload

Notícias Recentes

Cinco músicas para se despedir das flores de cerejeira em alto estilo

04.04.2018

 

Um dos símbolos mais fortes do povo japonês, a flor da cerejeira é uma presença constante na vida e na cultura do país. Ela aparece na moeda mais usada no dia-a-dia, de 100 ienes e na camisa da seleção nacional de rugby. Também há um sem número de lugares, em todas as partes do país, que leva sakura no nome. Aliás, é um nome também bem comum em mulheres.

 

Mas é na primavera que a cor rosada dessas delicadas flores se torna onipresente. Tudo é sakura: comida, roupas, brinquedos, lembrancinhas... As ruas ficam repletas de gente com suas câmeras e celulares tentando registrar o curto período do desabrochar dessas flores. Duas semanas e nada mais!

 

Como sakura é uma marca tão forte, ela não iria ficar de fora de uma indústria multimilionária: a fonográfica. Do mesmo modo que os artistas disputam no Brasil a honra ter um trabalho seu declarado 'a música do carnaval', qualquer compositor ou intérprete japonês quer arrasar com um sakura song. São obras que servem, claro, para embalar o hanami, a observação das cerejeiras. Mas também são canções para você ir curtindo a fossa ao longo do ano, pelo menos até a chegada do koyo, o caducar das folhas das árvores decíduas, que rola no outono.


Então, enquanto a gente se despede dos sakura, seguem cinco músicas para você adicionar no playlist e ir escutando até que a próxima temporada de flores. Ou até quando seus ouvidos aguentarem.

1. Sakurazaka 

intérprete: Masaharu Fukuyama

lançamento: 2000

 
Masaharu Fukuyama é um dos artistas mais respeitados no Japão. É o cantor com maior número de hits a atingir o 1˚ lugar nas paradas de sucesso do Japão, 18 no total. Ingressos para os seus shows no Japão se esgotam em questão de horas. Como ator, participou de várias novelas e filmes, muitas vezes no papel principal. Como se tudo isso não bastasse, o cara ainda caiu em outras searas: é locutor de rádio, produtor musical e fotógrafo, com quatro coberturas de Olimpíadas no currículo.

 

Sakurazaka (algo como 'a ladeira das cerejeiras')  foi composta para a  trilha sonora de Mirai Nikki ('O diário do Futuro', em tradução livre), um quadro do extinto programa de variedades Unnan no Hontoko!. A ladeira do título ficava perto da casa em que Fukuyama morava antes de se tornar famoso. Na música, o autor fala de como as flores de cerejeira trazem à tona as memórias de um relacionamento que se acabou. Fórmula perfeita que fez de Sakurazaka o segundo single mais vendido do ano 2000, ultrapassando as 2 milhões de cópias. É, também, a canção de maior sucesso comercial dentro do estilo sakura song.

2. Sakura (Dokusho)

intérprete: Naotaro Moriyama

lançamento: 2003

 

Quem anda pelo Parque Inokashira, em Kichijōji, um subúrbio no oeste de Tóquio, já deve ter se deparado com músicos ensaiando ao ar livre para futuras apresentações. Naotaro Moriyama, equipado com seu violão, foi um desses caras. Pouca gente que o viu tocar sabia que ele não era apenas um rapaz nipônico sem dinheiro no bolso etc e tal. Naotaro é filho de Ryoko Moriyama, compositora de vários hits, dentre eles Nada Sousou, grande sucesso da banda okinawana Begin e uma das músicas mais destruídas em karaokês japoneses.


Sakura, composta por Moriyama em parceria com Kaito Okachimachi, foi criada para o casamento de um amigo do rapaz e fala sobre o momento em que você se despede de alguém que está começando a trilhar um novo caminho. Por isso, a canção é uma das mais tocadas em formaturas no país. Vendeu mais de 1 milhão de cópias e foi o quarto single mais vendido no Japão em 2003.

3. Sakura

intérprete: Kyogo Kawaguchi

lançamento: 2003 (relançada no ano seguinte)

 

No mesmo ano em que Naotaro Moriyama arregaçava as paradas com o seu sakura song, o desconhecido Kyogo Kawaguchi lançou Sakura, sem muita visibilidade. A gravadora que o lançou acabou fechando mas o rapaz ganhou uma nova chance. Em dezembro de 2003, a Warner relançou a canção. A música colou e foi o nono single mais vendido de 2004, chegando até a quarta colocação nas paradas japonesas.  Mas, como a própria flor de cerejeira da canção, o sucesso de Kawaguchi foi efêmero.

 

Ainda assim, a persistência do rapaz merece crédito. Antes de floppar e ressurgir das cinzas, Sakura tinha sido composta para ser música-tema de um comercial estrelado pelo famoso personagem de mangá e anime Doraemon e acabou sendo preterida. Então, o cara até que saiu no lucro com a música que fala sobre a amizade que o gato-robô nutre pelo menino Nobita. A promessa de estar sempre ao lado do grande amigo, acabou sensibilizando os corações apaixonados e embalando inúmeros romances naquela longínqua primavera de 2004.

4. Sakura (2005)
intérprete: Ketsumeishi

lançamento: 2005


Ketsumeishi é o nome medicinal dado às sementes de uma planta conhecida como 'fedegoso' ou 'mata pasto', usadas na antiga medicina chinesa como laxante e diurético. Também é o nome de um dos mais bem sucedidos grupos de hip-hop japonês. Dois dos integrantes da banda são formados em Farmácia e, após uma busca num dicionário da área, encontraram esse nome que expressava exatamente o que os artistas queriam fazer com sua música: botar tudo pra fora.

 

Sakura foi um dos resultados dessa diurese musical e descreve a tristeza do eu lírico da canção ao perceber que o cenário das cerejeiras continua o mesmo mas a pessoa amada já não está mais ao seu lado. Com cerca de 960 mil cópias vendidas, foi o segundo single mais bem sucedido do ano de 2005 e está eternizado na estação ferroviária de Idogaya, em Yokohama, na província de Kanagawa, vizinha a Tóquio. Nas cercanias da estação fica um local popular para a admiração das cerejeiras. Além disso, um dos membros do Ketsumeishi morava no local antes da fama.

5. Senbonzakura

intérpete: Wagakki Band

lançamento: 2014

 
Gravada originalmente com a voz da ídolo virtual Hatsune Miku, Senbonzakura (algo como 'mil  cerejeiras') ganhou uma versão com muito mais peso na interpretação da Wagakki Band. O grupo faz o encontro do rock com as tradições musicais japonesas e tem um dos trabalhos mais interessantes da cena musical japonesa nos últimos anos.

 

Lançada no YouTube em 2014, o vídeo da música já soma mais de 78 milhões de visualizações. A música fala de jovens em desafios metafóricos numa época logo após a abertura do Japão ao ocidente. Complicado? Apenas ouça e sinta a vibração.
 

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no Twitter
Please reload

Procurar por tags
Please reload

Arquivo
RSS Feed
RSS Feed
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon
  • White Instagram Icon

© 2017 por Direto do Japão/Roberto Maxwell. Todos os direitos reservados.