Fazendo lámen com um bambu e outras experiências no Shin Yokohama Ramen Museum

Atualizado: Mai 15



Que viajante não se viu numa daquelas atrações feitas somente para tirar dinheiro de turista? Todo lugar tem uma e a primeira vez que eu ouvi falar do Shin Yokohama Ramen Museum achei que era o caso. Tinha tudo para ser! Na época, eu nem era muito fã de lámen e já achava absurdo alguém fazer um museu para um prato de sopa com macarrão dentro. Mas não era só isso. No Japão, o pessoal curte uma cenografia e existem até shopping centers inteiros baseados em um conceito cenográfico. O Shin Yokohama Ramen Museum tem uma área que reproduz uma cidade japonesa do século passado! Achei super cafona quando vi as fotos. "Não vou, não vou, não vou", decidi.


Mas um daqueles pontos de virada que mudam sua visão das coisas aconteceu na minha vida. Foi quando eu fui fazer uma matéria com o cozinheiro Mark Veen (Tamashii Ramen, SP). Ele me foi apresentado por um outro amigo do metiê numa das vezes em que esteve no Japão para fazer seus estudos de lámen. Não que eu tivesse interesse no prato mas achei que a pauta poderia ser interessante e, por isso, me despenquei até o RaJuku, uma escola para formar profissionais de lámen no subúrbio da província de Kanagawa. Foi nesse momento que eu descobri um universo que mudou a minha percepção sobre este prato que é o fast food mais adorado pelos japoneses (no masculino mesmo porque, neste caso, estamos falando dos homens).


Não sei quanto tempo demorou mas certamente não foi muito para que eu acabasse visitando o Shin Yokohama Ramen Museum, mesmo que ainda meio ressabiado. Mas não demorou muito para que toda a imagem que eu tinha do local se provasse errada. Logo na entrada do espaço há uma pequena exposição que conta a história do prato. E que história! O lámen veio da China e passou por diversas mudanças até se adaptar ao paladar japonês. Com a guerra e a ocupação americana, a escassez de alimentos levou a um aumento no consumo de farinha de trigo e seus derivados. Foi esse cenário que fez do lámen, uma massa fácil de fazer e barata de comercializar, um sucesso nacional. Isso tudo é contado com detalhes por lá.


Conta a história e mostra o lámen

O mais interessante do Shin Yokohama Ramen Museum está naquela parte que mais atraía a minha implicância: a tal réplica da antiga cidade japonesa. É ali que ficam os restaurantes, onde se pode provar lámens de diversos estilos. O mais legal os estabelecimentos não estão ali de forma aleatória. Existe uma curadoria que seleciona quem ocupa os espaços, como ocorre, olha só, em um museu!


Boa parte dos restaurantes ocupa o espaço por um período determinado. São, em geral, filiais de estabelecimentos já conceituados. Só para você ter uma ideia de como eles são criteriosos na seleção, um dos mais novos restaurantes "em exposição" é o Rishiri Ramen Miraku, considerado por muitos a casa de lámen mais remota do país! O "original" fica na ilha de Rishiri, na costa de Hokkaido, bem no norte do Japão. O lámen deles é conhecido por usar como ingrediente a alga kelp, uma das iguarias locais mais cobiçadas país a fora.


Mas o meu restaurante preferido lá é o Muku Zweite (foto abaixo), que já está encerrando sua temporada no museu. A matriz fica em Frankfurt, na Alemanha e o lámen servido deixa isso bem claro. Chucrute, bacon e outros elementos da gastronomia alemã são incorporados aos pratos que usam como base o caldo de porco tonkotsu com molho de soja shoyu. A massa, por sua vez, é feita com uma mistura de farinhas de trigo e durum, uma outra espécie de cereal. Delicioso!



Mais recentemente, o museu abriu um espaço de experiências, com ampla cozinha e uma atividade fixa: uma aula prática de aodake teuchi, uma antiga técnica de produção de macarrão. Ou seja, é botar a mão na massa... e no bambu! Sim, deixo os detalhes para o vídeo que está no final deste artigo mas é um modo de fazer o macarrão usando uma tora de bambu! Fiquei bege, confere depois. Mas já vai um spoiler: leva roupa para trocar.


Como o lámen está ficando cada vez mais popular mundo a fora, o Shin Yokohama Ramen Museum é, sim, uma daquelas atrações turísticas que atrai todo o tipo de gente. Porém, eu não riscaria o espaço da lista só por este motivo. Há muito o que aprender no museu que tem tudo para agradar todo o tipo de amantes de gastronomia.


12:03 | Preparando lámen com um bambu?


SERVIÇO

Shin Yokohama Ramen Museum

Kanagawa-ken Yokohama-shi Kohoku-ku Shinyokohama 2-14-21 [mapa]

normalmente das 10 às 23 horas (pedidos dos restaurantes até 30 minutos antes do fechamento)

entrada: ¥380 (adultos), ¥100 (crianças do ensino fundamental ao médio e pessoas acima dos 60 anos)

experiência do aodake teuchi: ¥1000 (não é necessário fazer reserva)

O preço das refeições é fixado por cada restaurante.

149 visualizações
  • White YouTube Icon
  • White Instagram Icon

© 2017 por Direto do Japão/Roberto Maxwell. Todos os direitos reservados.